segunda-feira, novembro 21


Penso na mulher em que me transformei recentemente, na vida que estou vivendo agora, e em quanto eu sempre quis ser esta pessoa e viver esta vida, liberta de toda a farsa de fingir ser qualquer outra pessoa que não eu mesma. Penso em tudo que suportei antes de chegar aqui, e pergunto-me se fui eu - quero dizer, esse eu feliz e equilibrado,... quem empurrou para a frente o meu outro eu, mais jovem, mais confuso e com mais dificuldade, durante todos estes anos difíceis. O eu mais jovem era a semente, cheia de potencial, mas foi o eu mais velho, o carvalho que já existia, que passou o tempo inteiro dizendo:'Isso... cresça! Mude! Evolua! Venha me encontrar aqui, onde eu já existo inteiro e maduro! Preciso que você cresça dentro de mim!

[Elizabeth Gilbert]

Um comentário:

Alê disse...

O tempo sempre nos deixa melhores,

Sempre!