domingo, julho 17



Estou me decompondo com a solidão frigida do meu quarto. E pra esquecer o tempo, finjo escrever. Não sei mais falar, perdi o jeito de abraçar, o gosto de beijar, e falar coisas simples como “eu te amo”. Acho que estou meio viciado. É coisa de escritor. Quem escreve não vive, sobrevive das raras palavras.

[Ataniel dos Santos]

Um comentário:

Pegadas do Coração disse...

Eu, particularmente, nem acredito que o meu texto está no Rabiscando Amor..
Que coisa, não! Adoreeii! Cada canto deste lugar é especial!

Beijos!